Seta verde Aftosa

 

 

 

 

A febre aftosa é uma doença viral altamente contagiosa que afeta bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, suínos e outros animais que possuem cascos fendidos. Apesar da alta sensibilidade ao calor e à luz, os vírus da aftosa são transmitidos com muita facilidade pelo ar, pela água e alimentos. É altamente transmissível por animais doentes e pelas secreções e excreções como saliva, urina, fezes, leite, etc...
A gravidade e preocupação em torno da febre não existe por causa das mortes que ocasiona, mas pelos elevados prejuízos econômicos, já que a disseminação ocorre de forma muito rápida e o local onde a doença é detectada é interditado, dificultando a produção de gado e a venda de carne.
Sintomas: São apresentadas aftas na boca e na gengiva, feridas nas patas e nas mamas. O animal apresenta febre alta que diminui após dois a três dias, perda de peso, dificuldade para pastar e produzir leite.

Contaminação: O aftovírus é transmitido pelo leite, carne e saliva do animal doente, mas também é transmissível pela água, ar, objetos e ambientes contaminados. As pessoas contaminadas (40 casos até agora) apresentaram febre leve, calafrios e bolhas nas mãos e na boca, sem risco de morte.

Atenção:

 

 

  • A Adagro dispõe do Disk Aftosa, para mais informações sobre a doença.
    Para combater a Aftosa, o órgão realiza anualmente, em maio e novembro, vacinação contra a doença.

  • As vacinas devem ser conservadas na temperatura entre dois e oito graus centígrados, em geladeiras domésticas ou em caixas térmicas com gelo;

  • É muito importante a conservação, pois tanto o congelamento quanto o calor inutilizam a eficiência da vacina;

  • O transporte das vacinas do revendedor até a propriedade deve ser sempre feito em caixas térmicas com gelo;

  • A dose a ser aplicada em cada animal deve ser aquela indicada no rótulo da vacina. Uma dosagem menor do que a indicada pelo fabricante não vai oferecer aos animais a proteção desejada;

  • Não devem ser utilizadas agulhas muito grossa, pois a vacina pode escorrer pelo orifício deixado no couro do animal pela agulha e em conseqüência, diminuir a quantidade de vacina aplicada;

  • A vacina deve ser aplicada embaixo da pele;

  • Os animais sadios deverão ser sempre vacinados, pois os doentes ou mal-alimentados, não respondem bem à vacinação e, nesses casos, é conveniente procurar orientação com o Médico Veterinário.

  • Os efeitos da vacina somente aparecem depois de 14 a 21 dias de sua aplicação. Se os animais apresentarem a doença antes desse prazo, é sinal que já estavam com a doença quando foram vacinados, mas ainda não tinham manifestado seus sintomas.

  • Os meses de vacinação em Pernambuco são maio e novembro