Seta verde Moko da Bananeira

 

O moko da bananeira ou murcha bacteriana é causada pela bactéria Ralstonia solanancearum raça 2. É uma das doenças mais importantes da cultura da bananeira, pois pode causar perdas de até 100% da produção, pois os frutos afetados tornam-se impróprios para o consumo. È de fácil disseminação e de difícil controle.
É uma praga Quarentenária A2, com ocorrência nos seguintes estados: Amazonas, Amapá, Pará, Acre, Rondônia, Roraima e Sergipe.

Sintomas

Murcha, amarelecimento, com posterior quebra do pecíolo das folhas basais e má formação foliar são  principais sintomas nas plantas jovens. Nas plantas adultas, há murcha, amarelecimento e necrose das folhas basais, progredindo para as demais. No rizoma observa-se a descoloração dos feixes vasculares e no pseudocaule ocorre a descoloração vascular caracterizada por pontos escurecidos. Com o avanço da doença toda a parte central do pseudocaule torna-se necrosada e exala cheiro fétido característico de bactérias.  Afeta também o engaço, os frutos e as raquis feminina e masculina. No engaço e na raquis ocorre a descoloração dos feixes vasculares com pontuações avermelhadas. Nos frutos observa-se escurecimento e podridão seca da polpa.

A sua disseminação ocorre pelo plantio de mudas infectadas. A capina, o desbaste, a desfolha, o corte do coração e a colheita são meios de disseminação da bactéria no plantio devido a contaminação das ferramentas. Pode ser disseminada também por insetos, como a abelha arapuá, quando ocorre exudação da bactéria pelas brácteas florais.   

Prevenção e Controle

- Uso de mudas sadias, com origem comprovada (CFO)
- Uso de cultivares resistentes
- Inspecionar periodicamente os plantios, com erradicação imediata das plantas doentes
- Desinfecção das ferramentas utilizadas no manejo da cultura
- Eliminar o coração ou mangará, evitando que abelhas e outros insetos disseminem a doença.

Não existe controle químico curativo para o moko da bananeira.